Mostra Clássicas no Cine Humberto Mauro - Santa Tereza Tem
Logo

Agenda

Carregando Eventos

« Todos Eventos

  • Este evento já passou.

Mostra Clássicas no Cine Humberto Mauro

Mostra Clássicas apresenta um recorte de filmes dirigidos por mulheres

A partir do dia 27 de fevereiro até 12 de março, o Cine Humberto Mauro apresenta um recorte de filmes dirigidos por mulheres de diversas épocas e países. A programação contempla diretoras como Chantal Akerman, Ida Lupino, Marguerite Duras, Jane Campion, Sofia Coppola, Ava DuVernay, entre outras. A Mostra Clássicas vai até 12 de março e é gratuita, com retirada de ingressos uma hora antes de cada sessão.

A curadoria se pautou por uma seleção de obras reconhecidas como clássicas da história do cinema mundial, abrangendo, também, trabalhos mais recentes que têm ganhado atenção da crítica internacional.
Até meados dos anos 1920 a presença de mulheres nos cargos de autoria narrativa e direção era bastante significativa, sendo considerada equivalente à dos homens. Quando o cinema estadunidense passa a ser e a representar um negócio lucrativo, que culminou com o sistema de produção industrial próximo do que conhecemos hoje, as mulheres foram excluídas dos lugares de criação e comando.

A Vida é uma Dança (1940)

Dorothy Arzner, uma das poucas artistas que sobreviveram a esta transição, marca presença na mostra com o filme A Vida é uma Dança (1940), um dos marcos da era de ouro de Hollywood, que demonstra a sua enorme capacidade em abordar assuntos polêmicos, como traição e desejo feminino, mesmo sob o julgo da censura no auge do Código Hays – conjunto de normas morais aplicadas aos filmes lançados nos Estados Unidos entre 1930 e 1968 pelos grandes estúdios cinematográficos. Com ares de uma comédia burlesca, A Vida é uma Dança (1940) ficou conhecido por ser um tratado sobre a condição da mulher em uma sociedade machista e conservadora.

Já nos anos 50, a curadoria destaca O Mundo é o Culpado (1950), de Ida Lupino, roteirista e diretora inglesa, que foi a primeira mulher a dirigir um filme noir e a segunda a ser filiada ao Sindicato de Diretores de Hollywood (a primeira foi Dorothy Arzner). O estilo de Ida Lupino é marcado por seu rigor formal e por realizar uma apropriação particular do gênero noir. O Mundo é o Culpado (1950) aborda o estigma sofrido pela protagonista após ser vítima de violência sexual.

No contexto brasileiro, a mostra destaca a carreira de Gilda de Abreu, que roteirizou e dirigiu o filme O Ébrio (1946), uma das maiores bilheterias do cinema brasileiro, baseado na canção homônima do seu então marido Vicente Celestino. Infelizmente, assim como várias outras diretoras, a carreira de Gilda Abreu enfrentou diversos percalços que culminou no fato de não ter conseguido emplacar nenhum outro sucesso comercial à altura do seu primeiro filme.

O Ébrio

A maioria dos filmes presentes na mostra apresenta narrativas que destacam o protagonismo da mulher diante do seu próprio destino, como Jeanne Dielman (1975), de Chantal Akerman, que apresenta o cotidiano exaustivo de uma dona de casa como um gesto político. Estarão na mostra, também, clássicos como Cléo das 5 às 7 (1962), de Agnès Varda, e O Piano (1993), de Jane Campion, eleito pela BBC o melhor filme dirigido por uma mulher.

Na seleção de novos clássicos, os destaques ficam com Matrix (1999), de Lana Wachowski e Lilly Wachowski, obra emblemática e influente do cinema de ação e ficção científica, e com as cinebiografias Frida (2002), de Julie Taymor, sobre Frida Khalo, e Selma – Uma Luta Pela Igualdade (2014), dirigido por Ava DuVernay, sobre Martin Luther King Jr.

Acesse a PROGRAMAÇÃO e confira as SINOPSES.

Serviço
Data: 27/02 a 12/03
Local: Cine Humberto Mauro | Palácio das Artes | Av. Afonso Pena, 1537.
Entrada gratuita

Anúncios