Irmandade Os Carolinos, festejo - Santa Tereza Tem
Logo

Irmandade Os Carolinos, festejo

Uma das mais tradicionais irmandades do Rosário de Belo Horizonte realiza seu festejo e  monta exposição no Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado

De 7 a 22 de outubro, a Irmandade Os Carolinos realiza as festividades tradicionais da sua Guarda de Moçambique. Rituais seculares marcam a celebração de uma das mais antigas irmandades do Rosário de Belo Horizonte. O festejo teve início com a subida da chamada bandeira de aviso, no dia 7 de outubro, e prossegue com a novena, de 13 a 21 de outubro, e finaliza com os dois dias da festa-grande quando ocorre a subida dos mastros, 21 de outubro, e o dia principal da festa, 22 de outubro, dia da procissão pelo bairro Aparecida. Cerca de quinze outras irmandades e guardas visitam a sede da Irmandade Os Carolinos tornando o dia preferido para o público conferir a diversidade, a beleza e a força dos congados e reinados de Minas Gerais.

Já a exposição Reinado de Chico Calu, que foi montada em 2017 em comemoração aos 100 anos da Irmandade, volta a encantar o público no Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado, entre 17 e 22/10. A mostra, que tem Alexandre Tavera como responsável pela expografia, traz fotografias das guardas da Irmandade impressas em tecidos e emolduradas com estandartes. Elas são registros dos últimos cinco anos de festejos e foram feitas pelo antropólogo e fotógrafo Patrick Arley. Além das imagens, a mostra apresenta um conjunto de objetos que remontam à religiosidade e sua celebração, instigando um olhar para o presente e o passado, para a cultura de matriz africana que se conformou no Brasil e seus rituais, e para o louvor e a tradição que se mantém por gerações.

As atividades da Irmandade têm patrocínio do Instituto Unimed BH, viabilizado via Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

IRMANDADE OS CAROLINOS

Guarda de Moçambique e Congo Sagrado Coração de Jesus – Irmandade Os Carolinos foi fundada em 1917 e é a terceira mais antiga da capital ainda em atividade. Há mais de 100 anos, os descendentes de Francisco Carolino mantém a tradição afro-mineira e realizam festejos em homenagem a Nossa Senhora do Rosário, aos demais santos do panteão congadeiro, aos reinos negros e à ancestralidade. Em agosto de 2022, a Irmandade foi certificada como Comunidade Quilombola pela Fundação Palmares. Os Carolinos é o quinto quilombo certificado de Belo Horizonte.

Os Carolinos já foram tema de um documentário homônimo, de uma edição da Revista Marimbondo e de diversos estudos acadêmicos. Também participaram do álbum “Aparecida, Reinos Negros” e do catálogo “Percursos do Sagrado: Irmandades do Rosário de Belo Horizonte e Entorno”. Em 2019, o capitão-mestre da Irmandade, Nelson Pereira, foi reconhecido como Mestre da Cultura Popular de Belo Horizonte e Irmandade foi premiada na 7ª Edição do Prêmio Culturas Populares – Edição Teixeirinha, pela Secretaria da Diversidade Cultural (SDC), do Governo Federal.

REINADO EM BELO HORIZONTE

Os reinados/congados negros com suas guardas (ou ternos) de moçambique, congo, caboclo, marinheiro, vilão e catopé, reapresentam nas ruas a história da retirada de Nossa Senhora do Rosário do mar pelos negros escravizados. Esses grupos e irmandades estavam aqui bem antes do surgimento de Belo Horizonte, nas fazendas escravagistas que conformavam o antigo Curral Del Rey. A tradição dos congados também migrou para a cidade com a mão de obra operária vinda do interior para construir a nova capital. Atualmente, dezenas de reinados/congados, com suas guardas, mantém nas periferias da cidade a riqueza dessa tradição afro-mineira e por meio de festejos e visitas mútuas realizam o Ciclo Anual do Rosário na capital.

Exposição 

17 a 22/10, terça-feira a domingo, das 7h às 17h30  

Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado 

Rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904, Itapoã 

Gratuito

Anúncios