Manifestação pelo sossego reúne dezenas de moradores na Praça de Santa Tereza - Santa Tereza Tem
Logo

Manifestação pelo sossego reúne dezenas de moradores na Praça de Santa Tereza

Em torno de 100 pessoas se reuniram na Praça Duque de Caxias, no sábado, dia 3 de junho, no movimento Unidos por Respeito, em uma manifestação contra a perturbação do sossego e a poluição sonora causada por alguns bares.

Segundo um dos representantes do grupo, José Pedro, o movimento busca uma solução para a grave situação de perturbação do sossego em alguns pontos do bairro, onde as pessoas não têm mais direito ao descanso devido à poluição sonora promovida por alguns bares. Hoje, planejamos várias ações como denunciar  no Ministério Público e pelo site da prefeitura esses estabelecimentos irregulares, marcar reuniões com a fiscalização da prefeitura, no CONSEP (Conselho de Segurança Pública) e demostrar nossa insatisfação ao poder público, de forma coletiva e não isoladamente”.

José Pedro

Para se ter ideia do tamanho do problema, a moradora IMS, (ela preferiu não se identificar por receio de represálias), nos conta que mora perto do Bar Santerê. “ Resido em um local, onde  de quinta a domingo, ninguém mais dorme.  O Bar Santerê, não tem isolamento acústico e promove shows com banda com som altíssimo, de 22h até 3h da madrugada. É como se a banda estivesse dentro do meu quarto. Já cansamos de acionar a fiscalização da prefeitura e simplesmente somos ignorados. O bar funciona no mesmo local do antigo Copacabana, que foi fechado por esse mesmo motivo”.

“Estou aqui porque é um movimento coletivo, pois o problema não é só meu. Se de 87 bares, apenas 10 pelo que levantamos perturbam o sossego, porque eles não se adequam à lei. O problema, então, não é ter bares no bairro, mas a falta de preocupação com o bem-estar da vizinhança, por parte desses 10. E alguma coisa tem de ser feita, pois não aguentamos mais”, diz a moradora.

São 87 bares e deles alguns promovem a poluição sonora

Ricardo Lima, diretor da ACBST

A Associação Comunitária do Bairro (ACBST) representada pelo seu diretor Ricardo Lima, observa que “a associação está junto com coletivo Unidos por Santa Tereza, pois temos como bandeira manter a qualidade de vida do bairro.  Ressaltamos que a intenção não é fechar bares, somos a favor do empreendedorismo e da geração de emprego, mas existem leis, que devem ser respeitadas pelos estabelecimentos para que haja uma convivência harmoniosa”.

Ele ressalta que dos 87 bares, apenas 10 promovem a poluição sonora e que não custa nada a eles se adequarem às leis. Outra coisa que Ricardo comenta é que a prefeitura precisa regulamentar a utilização das mesas nas calçadas, pois do jeito que está impede a mobilidade das pessoas.  

Fernanda Marques dda Associação dos Moradores do Bairro Ouro Preto

Mas pelo visto este não é um problema só de Santa Tereza, mas de outras regiões da cidade. A manifestação contou com o apoio da Associação dos Moradores do bairro Ouro Preto. Sua diretora, Fernanda Marques, comenta que “temos vivido problemas semelhantes no Ouro Preto, onde sofremos impacto dos shows no Mineirão e dos bares na Avenida Fleming. Esse movimento está crescendo em toda cidade, para unidos cobrarmos dos órgãos competentes ações concretas para minimizar os problemas e conscientizar os moradores sobre o nosso papel no combate à poluição sonora e a perturbação do sossego”.

Anúncios