FIQ Festival Internacional de Quadrinhos - Santa Tereza Tem
Logo

FIQ Festival Internacional de Quadrinhos

A 11ª Edição do FIQ Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte – FIQ BH, será de 3 a 7 de agosto, no Minascentro. A programação é gratuita, com atividades para jovens, adultos, crianças e profissionais do setor, e reafirma a relevância do FIQ BH como o maior evento latino-americano dedicado ao gênero.

Com a temática “Quadrinhos e o mundo do trabalho”, o FIQ Festival Internacional de Quadrinhos reúne 300 artistas locais, nacionais e internacionais. A programação inclui oficinas, exposições, sessões de filmes, mesas de artistas, feira de quadrinhos, debates, sessões de autógrafos, duelos de HQs, rodada de negócios, durante os cinco dias de festival.

A abertura oficial do FIQ BH 2022 será no dia 3 de agosto, quarta, às 9h30, no Minascentro, com a presença dos curadores, quadrinistas, parceiros e autoridades. A programação completa pode ser acessada no site portalbelohorizonte.com.br/fiq.

Realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com o Instituto Lumiar, o 11º FIQ BH conta com o apoio da Casa Fiat de Cultura e da Casa dos Quadrinhos, e parceria do Minascentro, SEBRAE Minas, Aliança Francesa e Embaixada da França no Brasil.

Temática “Quadrinhos e o mundo do trabalho”

Com curadoria da jornalista e quadrinista baiana Amma e do psicólogo mineiro e pesquisador da representação social do feminino em histórias em quadrinhos Lucas Ed, a 11ª edição do FIQ BH apresenta o tema “Quadrinhos e o mundo do trabalho”, que irá abordar a dinâmica da profissionalização de agentes relacionados ao universo dos quadrinhos, frente às crises que o mercado tem enfrentado.

Essas questões se refletem nas mesas-redondas, debates e conversas com convidados de renome nacional e internacional. A proposta é refletir sobre o(s) trabalho(s) envolvido(s) na produção de uma história em quadrinhos (pesquisa, planejamento, entrevistas, execução, divulgação); as atividades em torno da produção, como o trabalho de tradutores; os quadrinhos que falam sobre trabalhadoras e trabalhadores e suas atividades; e como é ter a essa arte como meio de vida.

Marcelo D`Salete quadrinista homenageado

O artista homenageado desta edição, é o quadrinista, ilustrador e professor paulistano Marcelo D’Salete. Aos 42 anos e com quase 20 anos de carreira, ele é um dos autores de quadrinhos mais premiados no Brasil, ganhador de um dos mais importantes prêmios de quadrinhos do mundo: o Eisner de melhor edição americana de material estrangeiro, em 2018, com a edição norte-americana de “Cumbe”. No mesmo ano, @Marcelo D`Salete levou também o Prêmio Jabuti com “Angola Janga”, na categoria Histórias em Quadrinhos.

Suas obras mais aclamadas tratam da história da resistência à escravidão no Brasil pela ótica dos povos negros: “Cumbe” (2014) e “Angola Janga” (2017), ambas publicadas pela editora Veneta. “Angola Janga”, seu quadrinho mais recente, é fruto de uma pesquisa de dez anos sobre Zumbi dos Palmares, Ganga Zumba e o famoso quilombo. Além dos prêmios que conquistou, “Angola Janga” já é considerado pela crítica especializada como um dos mais importantes quadrinhos feitos e publicados no Brasil.

“Multipremiado no Brasil e no exterior, D’Salete sintetiza muito bem o espírito desta edição. ‘Angola Janga’, sua principal obra até agora, é o resultado imperdível de anos de suor e pesquisa. E mais especial ainda poder homenagear, pela primeira vez, um autor negro de quadrinhos”, celebra Lucas Ed.

O homenageado estará presente no FIQ BH 2022 com a mesa “Marcelo D’Salete entre faróis, favelas e quilombos”. Haverá também uma exposição com trabalhos de sua carreira. Na exposição “Malungo D’Salete: Entre faróis, favelas e quilombos”, o público terá a oportunidade de mergulhar no trabalho do quadrinista por meio de reproduções de páginas, vídeos, quadros, texturas, pinceladas, símbolos e palavras.

Programação gratuita

Mesas-redondas, debates e bate-papos

Na programação das mesas-redondas, debates e bate-papos. Elemento que passa muitas vezes despercebido nos HQs, o roteiro é o ponto central da mesa “No início era a palavra. Criação e Roteiro de Quadrinhos”, que reúne os convidados Carol Rossetti (BH), Ademar Vieira (AM) e Ing Lee (BH), e que acontece no primeiro dia de evento, 3/8, às 18h.

No mesmo dia, às 19h30, o Grupo Galpão, que completa 40 anos, brinda o público do evento com a presença dos atores Eduardo Moreira (BH), Inês Peixoto (BH) e Teuda Bara (BH) na mesa “Quadrinhos na Ribalta – Os desafios de dialogar quadrinhos com teatro”.

Na linha faça você mesmo, o evento pensa a produção independente na mesa “Faça você mesm@, fale você mesm@: zines, quadrinhos underground e autopublicação”, que acontece no dia 4/8, a partir das 12h, com Tai Silva (PA) , Fabiano Azevedo (BH), Alec (BH) e Bennê Oliveira (PE). Como viver de quadrinhos? É essa a discussão em torno da mesa “Quando os quadrinhos SÃO o trabalho: vivendo entre rascunhos e boletos”, que será realizada no mesmo dia, às 15h, com a presença dos convidados Cris Bolson (BH), Raphael Salimena (MG), Ilustralu (RN) e Ana Cardoso (MG).

As atividades incluem encontros para refletir a relação dos quadrinhos com o jornalismo, a crítica especializada, a internet e as redes sociais, entre outros recortes como narrativas de origem, questões de gênero e representatividade. Os temas se refletem em mesas como “Webcomics e redes sociais: produzindo para a internet nos dias de hoje”, no dia 5/8, às 15h, com Bennê Oliveira (PE), Paulo Moreira (PB), Raphael Salimena (MG) e Helô D’angelo (SP).

“Uma das grandes atrações do evento é o trabalho de Luiza de Souza (RN), a IlustraLu, com seu quadrinho Arlindo. A Lu é do Rio Grande do Norte e possui várias indicações de prêmios com a história de Arlindo, um menino gay que busca seu lugar no mundo. Vamos ter artistas que são sucesso na internet, como Paulo Moreira (PB) e Helô D’Ângelo (SP), e muitos outros convidados especiais”, adianta Amma.

Também na sexta-feira, 5/8, às 17h30, uma mesa especial denominada “FIQ BH – ontem, hoje, amanhã” vai reunir os curadores Lucas Ed (BH) e Amma (BA), e o assessor da Diretoria de Políticas de Festivais da Fundação Municipal de Cultura Afonso Andrade (BH) para uma discussão conceitual sobre o festival.

Convidados internacionais

Chloé Cruchaudet é nascida em Lyon, na França, e, depois de estudar arquitetura e artes gráficas em Lyon, frequentou a escola de animação Gobelins. Isso fez com que ela desenvolvesse seu gosto pelo desenho in loco e trouxe uma abordagem cinematográfica para seu trabalho. Sua produção é inspirada em livros históricos ou autobiografias. Ela participa da mesa “Quadrinhos e transmídia: animação e outro registros”, no dia 4/8, quinta-feira, às 18h, e recebe o público para o bate-papo “Conversa em quadrinhos: ficção histórica” no dia 6/8, às 13h30.

Chloé Cruchaude

O francês Fabien Toulmé, que tem publicações no Brasil e que são sucesso pelo mundo afora, participa do bate-papo “Conversa em quadrinhos: as narrativas intimistas” também no dia 6/8, sábado, às 15h.

Mostra de cinema e exposição

Entre as atividades desta edição, o FIQ BH apresenta ainda a mostra de cinema que apresentará obras focadas tanto na temática geral do evento quanto na interseção dos quadrinhos com o mundo da animação. Serão seis filmes exibidos no Cine Santa Tereza, gratuitamente (clique no link e veja a programação dos filmes): Culottées – Mai Nguyen et Charlotte Cambon De La Valette; Wood & Stock – Otto Guerra; Aya de Yopougon – Marguerite Abouet, Clément Oubrerie; Um homem está morto – Olivier Cossu; Snoopy & Charlie Brown: Peanuts, o Filme – Steve Martino; Playlist – Nine Antico;

Filme Aya de Yopougon no Cine Santa Tereza

Além da exposição “Malungo D’Salete: Entre faróis, favelas e quilombos”, do homenageado do FIQ BH 2022, as artes visuais também estão representadas com a exposição “Gemini”, história em quadrinhos de Rogi Silva e Clémence Bourdaud, que parte do diálogo entre linguagens, artistas e culturas. Ele, brasileiro, e ela, francesa, transportam a HQ para uma instalação digital e interativa, na qual o público é convidado a fazer uma imersão na história e conhecer uma nova perspectiva de narrativa.

*A exposição “Gemini” está em cartaz na Casa Fiat de Cultura e poderá ser vista presencialmente até 14/8.

Oficinas – Profissionalização e formação de público

Outro viés sempre importante para o evento, as oficinas irão oferecer atividades voltadas tanto para a formação de público quanto para a prática dos quadrinhos. O 11º FIQ BH conta com oficinas gratuitas para todas as idades, que serão ofertadas para despertar a curiosidade e o interesse artístico no mundo dos quadrinhos com atividades ligadas à prática do desenho.

A programação também contará com oficinas de formação (também gratuitas, porém com inscrição prévia) destinadas a artistas e profissionais da área. Serão quatro oficinas diferentes ministradas por convidados do evento – mais informações sobre as oficinas no site do FIQ BH.

Rodada de Negócios – Artistas mais próximos das editoras

A Rodada de Negócios é uma ação do FIQ BH que propõe aproximar artistas e editoras. Os encontros, que vão ocorrer entre os dias 3 e 4 de agosto, são organizados com objetivo de ampliar o networking profissional, oferecendo aos quadrinistas a oportunidade de apresentarem os seus projetos às editoras convidadas.

A iniciativa destina-se aos profissionais e projetos inscritos previamente e já selecionados pela organização do FIQ BH. São encontros com 10 minutos de duração, quando o trabalho passa por uma avaliação das editoras. O espaço contará, ainda, com a presença de dois representantes de estúdios de animação, que poderão buscar tanto por profissionais como por ilustradores, roteiristas e histórias que podem ser adaptadas para o audiovisual. A atividade permite que artistas dos mais diversos cantos do país tenham seu trabalho avaliado por agentes e editoras, em uma oportunidade rara de receber um retorno qualificado do que se está produzindo.

Feira de Quadrinhos

Ocupando um espaço crescente a cada edição, a Feira de Quadrinhos é formada por Mesas e Estandes de artistas e editoras, em que os quadrinistas de todo o Brasil expõem seus trabalhos. É uma oportunidade para aproximá-los dos consumidores de suas obras e produtos. Para os frequentadores do evento é a chance de conhecer pessoalmente artistas que já são reconhecidos, e, também, um ambiente propício para conhecer o trabalho de novos quadrinistas.

SERVIÇO:

11ª edição do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte – FIQ BH 2022
Data: 3 a 7 de agosto
Local: Minascentro – Rua Guajajaras, 1022
Horário: Quarta-feira a sexta-feira, das 9h às 21h; Sábado e domingo, das 10h às 21h.
Classificação: livre
Para mais informações, acesse: portalbelohorizonte.com.br/fiq

Anúncios