8ª edição do JUNTA - Santa Tereza Tem
Logo

8ª edição do JUNTA

8ª edição do JUNTA, um dos maiores eventos de venda de arte contemporânea de MG, acontece em BH em 30 de abril, 1º, 7 e 8 de maio

Serão quatro dias de exposição fluida com diversas linguagens da arte contemporânea independente em um dos pontos mais importantes para a cultura e memória de Belo Horizonte, a Casa Viva Lagoinha

Uma das maiores mostras de arte contemporânea independente de Minas Gerais, a 8ª edição do JUNTA, tem o objetivo de estimular a circulação de obras de arte em Minas Gerais e a formação de novos consumidores e colecionadores.

Com uma grande expografia com mais de 300 obras desenvolvidas por cerca de 40 artistas, estará aberta à visitantes, colecionadores e apreciadores de arte em um dos pontos mais importantes para a cultura e memória de Belo Horizonte, a Casa Viva Lagoinha. A iniciativa é realizada pelos curadores e organizadores Comum, Flaviana Lasan e Thiago Alvim.

O JUNTA busca ainda possibilitar, através de um recorte periódico generoso de artistas e obras, compreensões sobre os cenários contemporâneos da arte em Belo Horizonte. A curadoria desta edição defende a ideia de provocar o pensamento crítico do sistema de arte a partir da reunião de artistas de diferentes técnicas, idades, tempo de atuação e intersecções sociais, como também público e agentes do setor.

Serão quatro dias de exposição fluida nos sete cômodos Casa Viva Lagoinha, idealizada por Filipe Thales para catalisar iniciativas de valorização e requalificação da região da Lagoinha, um dos pontos mais importantes para a cultura e memória da capital. Flaviana Lasan explica que o espaço foi escolhido por dialogar com os objetivos do evento que é descentralizar os espaços culturais: “estar na Lagoinha é recomeçar, não só por estarmos de volta à região, mas porque estamos de volta a uma possibilidade de coletividade. A parceria com o trabalho da Casa Viva Lagoinha é um sinal de coesão cultural e de possibilidades de expandir dinâmicas, unindo-as”.

Geração de renda, o JUNTA é uma forma de evidenciar a produção de arte e, com isso, gerar renda para artistas que se encontram em território mineiro. Thiago Alvim explica que o evento se apresenta como uma alternativa para além das galerias de arte, uma vez que a maioria dos artistas presentes não tem contratos. “Existimos como uma importante alternativa a um sistema que não consegue incluir a totalidade da produção que temos em Belo Horizonte gerando outros mercados de arte possíveis”, acrescenta.

Conheça os nomes desta edição

A maioria dos nomes presentes têm em sua produção um propósito político, que trazem para as obras ampliando suas vozes e questões. Com isso, deixam um quadro contemporâneo compatível com as condições que estamos lidando no Brasil. Um destaque é que parte dos artistas tem convívio com a literatura e conseguem trazer um hibridismo em suas obras, seja a partir de uma criação tipográfica ou posicionando textos no suporte de telas e desenhos. Outro destaque é a prática no design que culmina no desenvolvimento de obras com tons de gravura e técnicas mistas de tiragens, colagem e também intervenções manuais.

Serão expostas mais de 300 obras entre esculturas, fotografia, pintura, desenho, tiragens, gravuras e assemblages. Dos artistas desta edição, 22 participam pela primeira vez. Fazem parte da 8ª edição do JUNTA: Andrea Azzi, Antônio Cigania, Barbara Daros, Binho Barreto, Brígida Campbell, Carol Botura, Cesarão Trome, Comum, Daniella Domingues, Dri Sant’ana, Erre Erre, Fernanda Gontijo, Fhero, Francisco Nuk, Gabriel Nast, Horacius de Jesus, Iaci, João Gabriel, Julianismo, Karina Mageste, Laura Berbert, Lume Ero, Marcel Diogo, Max Motta, Mônica Maria, Natalia Costa (Tear), Preto Matheus, Rodrigo Borges, Saulo Pico, Skap, Thiago Alvim, tttuto, Vittorio Avery, Will , Yanaki Herrera e Zé D’iNilson.

Parceria com a Casa Viva Lagoinha

Flaviana conta ainda que sendo uma exibição itinerante, o território inspira a proposição artística e, ao considerar a Casa Viva Lagoinha a parceria desta 8ª edição, havia o compromisso de ativar artistas da região e entender a partir deles o que nos cerca. “Além dessa seleção auxiliada por quem ali convive, o embaixador Filipe Thales, trouxemos artistas que marcaram as edições anteriores, tentando reconectar a experiência pela qual nos unimos”, completa.

Com música ambiente, o bar da Casa Viva Lagoinha estará aberto com venda de bebidas e comidas – haverá opções veganas. Não é necessário retirada de ingresso, a entrada no evento é livre para todos os públicos. É necessário uso de máscara.

Sobre o JUNTA

Até a sétima edição era amplamente conhecido como Junta Bazar de Arte Independente, nesta edição volta à cena belo-horizontina como JUNTA refletindo o frescor e os desejos de renovação.

O JUNTA é um espaço de arte temporário e itinerante de grande potência. Reúne, durante dois finais de semana, uma amostra pulsante do que é produzido na diversidade das cenas de arte contemporânea de Belo Horizonte, e entrega tudo de uma vez, ao mesmo tempo. Nos espaços que ocupa, as paredes são tomadas por muitas obras de arte, que parecem dançar pelas paredes da galeria. “De fato, há um balé silencioso acontecendo ali. Há uma grande rotatividade de trabalhos, que são vendidos e substituídos por outros, de forma que o espaço expositivo nunca será o mesmo.” acrescenta Comum.

Serviço

O que é: JUNTA
Quando: 30 de Abril, 1º, 7 e 8 de Maio
Horário: 10h às 20h
Onde: Casa Viva Lagoinha, localizada na rua Comendador Nohme Salomão, 118, no bairro Lagoinha
Entrada: Gratuita e aberta ao público em geral

Anúncios