MIS Cine Santa Tereza - programação da semana - Santa Tereza Tem
Logo

MIS Cine Santa Tereza – programação da semana

MIS Cine Santa Tereza traz Mostra, que exalta obras de cineastas da periferia de BH

OM IS Cine Santa Tereza, realiza entre os dias 06 e 17 de novembro panorama inédito da produção audiovisual das favelas e periferias de BH e Região Metropolitana. Serão exibidos cerca de 50 filmes de mais de 30 realizadores, entre curtas, longas, média-metragens e séries.

São títulos que alcançaram notoriedade no circuito mineiro, nacional e internacional de festivais, angariando prêmios e difundindo a potencialidade universal da arte das periferias brasileiras para outros continentes e também a produção da nova geração. Durante a mostra serão realizados debates, bate-papos e mesas redondas. A entrada é gratuita!

Confira a programação de 06 a 10 de novembro
MOSTRA PERIFERIA CINEMA DO MUNDO

Dia 06, quarta-feira-feira – 19h30

NO CORAÇÃO DO MUNDO
(Gabriel Martins e Maurílio Martins l Brasil l 2019 l Ficção l 120 mins.)
Na periferia de Contagem, Marcos busca uma saída para sua rotina de bicos e pequenos delitos. Surge uma oportunidade arriscada, mas que pode solucionar todos seus problemas. Para isso, ele precisa convencer sua namorada, Ana, a se juntarem a Selma e executarem o plano que pode mudar suas vidas para sempre.
Classificação indicativa: 16 anos

Dia 07, quinta-feira-feira
17h30 – PRETERIR
(Marcos Donizetti l Brasil l 2016 l doc l 30 mins)
Preterir se propõe a trazer reflexões sobre o tema A solidão da Mulher Negra, a partir de histórias e vivências de mulheres de diferentes idades, moradoras da cidade Belo Horizonte/MG e Região Metropolitana.
Classificação indicativa: Livre

19h30 – MULHERES NO NOVO CINEMA MINEIRO
FAVELA EM DIÁSPORA
(Gabriela Matos l Brasil l 2018 l Doc. l 20 mins)
Em meio a uma desapropriação, o que fica?
Memórias de um povo que está à margem do asfalto. Moradores do Morro do Papagaio relatam, a partir de suas vivências, como o processo de migração compulsória realizado por um projeto de Prefeitura provoca uma ruptura em suas histórias.
Classificação indicativa: Livre

CARMA
(Dea Vieira l Brasil l 2017 l doc. l 2017 l 26 mins)
“Carma” é um nome que tem vários rostos, várias estórias que se separam e se fundem. Se repetem e se exaurem. A realidade é representada através de fragmentos e de impressões subjetivas, de atos incoerentes e ações vagas.É como se a câmera não estivesse presente. Não há encenações, não existe narradores ou entrevistas. Apenas um recorte na vida das pessoas e no carma (ou do sânscrito “Karma”) que elas carregam: Ações que se repetem e se completam num ciclo intrínseco de trabalho, musicalidade e fé.
Classificação indicativa: Livre

MINHA RAIZ
(Labibe Araújo l Brasil l Doc. l 2017 l 11’39’’)
Um documentário performático que perpassa pela autoestima da mulher negra, autoaceitação e questiona a forma da sociedade invisibiliza nossa estética e existência.
Classificação indicativa: Livre

A MULHER QUE EU ERA
(Karen Suzane l Brasil l 2018 l ficção l 11’42)
Cacau é uma mulher negra casada com um homem branco. Dentro sua rotina, ela encara suas lembranças e, em um contexto onírico, as memórias lidam com momentos passados de opressão.
Classificação Indicativa: 12 anos

NOIR BLUE
(Ana Pi l Brasil/França l 2018 l 27 mins)
No continente africano, Ana Pi se reconecta às suas origens através do gesto coreográfico, engajando-se num experimento espaço-temporal que une o movimento tradicional ao contemporâneo. Em uma dança de fertilidade e de cura, a pele negra sob o véu azul se integra ao espaço, reencenando formas e cores que evocam a ancestralidade, o pertencimento, a resistência e o sentimento de liberdade.

Dia 08, sexta-feira-feira

15 horas – EU, PEDREIRA!
(Coletivo PPL l Brasil l 2019 l Doc. l 70 mins.)
O documentário narra histórias contadas pelos olhares dos moradores e ex moradores da Pedreira Prado Lopes.

17 horas –
EU BRINCO DE BONECAS (Clebin Quirino e Raissa Silva l Brasil l 2018 l Ficção l 10 mins)
Raissa é uma adolescente que tem um segredo e precisa contar pra alguém!
Video produzido a partir de processo formativo na oficina livre de audiovisual na comunidade Vila Maria, regional nordeste de Belo Horizonte, conduzida por Clebin Quirino.
Classificação indicativa: Livre

VISÕES – (Clebin Quirino e Raissa Silva l Brasil l 2018 l Ficção l 03 mins)
Ela consegue pressentir e enxergar aquilo que os outros não vêem.
Video produzido a partir de processo formativo na oficina livre de audiovisual na comunidade Vila Maria, regional nordeste de Belo Horizonte, conduzida por Clebin Quirino.
Classificação indicativa: Livre

JUVENTUDE NEGRA POLÍTICA-JOVENS NEGROS PENSANDO O FUTURO
(Israel Oliveira l Brasil l 2019 l Doc. l 13 mins)
O documentário traz uma reflexão da situação da juventude negra na política brasileira com em suas percepções e anseios. E a partir das provocações: “O que é Juventude Negra Política? Qual o seu papel na transformação do sistema político brasileiro?”, os participantes da imersão “JUVENTUDE NEGRA POLÍTICA – JOVENS NEGROS PENSANDO O FUTURO”, uma formação de liderança promovida nos dias 26, 27 e 28 de junho de 2019, apresentam seus próprios entendimentos sobre o papel de cada um na transformação social coletiva. O Viaduto das Artes, no Barreiro, Belo Horizonte, local onde foram realizadas as atividades, compõe o plano estético da narrativa. Os participantes, em mini performances, constroem uma narrativa estética, literária, e apresentam perspectivas positivas de futuros possíveis!
Classificação indicativa: Livre

SONHOS DE YOLANDA
(Adélia Mendes, Carlos Barbos, Curt Duo, Fabiana Bezerra, Marcelo Lin, Nila Rodrigues l
Brasil l 2019 l Doc. 14 mins)
Coração de mãe sempre cabe mais um. Assim Yolanda vive e deste modo ela criou sua família em uma comunidade.
Classificação indicativa: Livre

19h30
A TRILHA SONORA DA QUEBRADA
MELHORES CLIPES DO P.DRÃO
Exibição seguida de debate com P.drão, MC Papo, Robert Frank, Russo APR
Mediação: Leo Pyrata (a confirmar)
Classificação indicativa: Livre

Dia 09, sábado

19H30
FILHOS DA PUTA

(Coletivo Rebu; dir.: Kelson Frost l Brasil l 2019 l Doc. l 30 mins.)
O Coletivo Rebu apresenta o documentário Filhos da puta, partindo dessa expressão popularmente dita o documentário nos apresenta três filhos de trabalhadoras sexuais e suas histórias. A partir daí somos convidados a parar e ouvir essas vozes e suas falas possibilitando criar outras narrativas acerca do trabalho sexual e das questões que o envolvem.
Classificação indicativa: Livre

Dia 10, domingo

17 horas
MULHERES NO NOVO CINEMA MINEIRO (REPRISE)
Exibição seguida de debate com Labibe Araújo, Karen Suzane e Gabriela Matos
Mediação: Tatiana Carvalho

FAVELA EM DIÁSPORA
(Gabriela Matos l Brasil l 2018 l Doc. l 20 mins)
Em meio a uma desapropriação, o que fica?
Memórias de um povo que está à margem do asfalto. Moradores do Morro do Papagaio relatam, a partir de suas vivências, como o processo de migração compulsória realizado por um projeto de Prefeitura provoca uma ruptura em suas histórias.
Classificação indicativa: Livre

CARMA
(Dea Vieira l Brasil l 2017 l doc. l 2017 l 26 mins)
“Carma” é um nome que tem vários rostos, várias estórias que se separam e se fundem. Se repetem e se exaurem. A realidade é representada através de fragmentos e de impressões subjetivas, de atos incoerentes e ações vagas.É como se a câmera não estivesse presente. Não há encenações, não existe narradores ou entrevistas. Apenas um recorte na vida das pessoas e no carma (ou do sânscrito “Karma”) que elas carregam: Ações que se repetem e se completam num ciclo intrínseco de trabalho, musicalidade e fé.
Classificação indicativa: Livre

MINHA RAIZ
(Labibe Araújo l Brasil l Doc. l 2017 l 11’39’’)
Um documentário performático que perpassa pela autoestima da mulher negra, autoaceitação e questiona a forma da sociedade invisibiliza nossa estética e existência.
Classificação indicativa: Livre

NOIR BLUE
(Ana Pi l Brasil/França l 2018 l 27 mins)
No continente africano, Ana Pi se reconecta às suas origens através do gesto coreográfico, engajando-se num experimento espaço-temporal que une o movimento tradicional ao contemporâneo. Em uma dança de fertilidade e de cura, a pele negra sob o véu azul se integra ao espaço, reencenando formas e cores que evocam a ancestralidade, o pertencimento, a resistência e o sentimento de liberdade.

A MULHER QUE EU ERA
(Karen Suzane l Brasil l 2018 l ficção l 11’42)
Cacau é uma mulher negra casada com um homem branco. Dentro sua rotina, ela encara suas lembranças e, em um contexto onírico, as memórias lidam com momentos passados de opressão.
Classificação Indicativa: 12 anos

19 horas
DO TEXAS PARA O MUNDO: O CINEMA DE CONTAGEM

Exibição seguida de debate com Affonso Uchoa, Filmes de Plástico e Raphael du Bronx e Robert Frank

Exibição de curtas da produtora Filmes de Plástico
Dia 12, terça-feira
17 horas
WEB SÉRIES

CONTA AÍ, VIZINHO! CONTA AÍ, VIZINHA!
(Paulo Vitor Ribeiro, Marina Lauar l Brasil l 2019 l série l 6 mins.)
Série que está sendo realizada pelo Bloco Seu Vizinho, juntamente com Matriarcas Da Serra e Coletivo Dialeto; em Belo Horizonte, Minas Gerais. Em busca de histórias contadas pelos moradores anciões do Aglomerado da Serra, a fim de exibir o conteúdo dentro da própria comunidade.
Classificação indicativa: Livre

A VENDEDORA DE SONHOS
(Cida Reis, Thiago Nascimento l Brasil l 2017 l Ficção l 20 mins)
Sociedade é vendedora ambulante, ela vende seus sonhos pela cidade e através de sua “estampa” ou não ela decide que tipo de sonho você pode levar.
Classificação indicativa: Livre

NÓIS É TUDO CABANA
(Marcus Vieira e Dea Vieira l Brasil l 2017 l série documental l 55 mins)
Quem são essas pessoas que formam o corpo, lugar de histórias, de talentos, de vozes? Somos parte de um contexto que, olhando mais de perto, é grande demais para contar! Por ser um, por serem vários, não cabem em uma película. “Nós é tudo Cabana” foi a forma que encontramos para continuar a nos conhecer. Pessoas, lugar, identidade.
Classificação indicativa: Livre

MIS Cine Santa Tereza
Rua Estrela do Sul, 89
Entrada franca

Anúncios