Logo

Fim de semana no Espaço do Conhecimento UFMG

Atividades gratuitas para este fim de semana no Espaço do Conhecimento que fica na Praça da Liberdade, nº700.

Pense Bem: Projeto de prevenção de traumas neurológicos
Podendo levar à morte e à incapacidade, as lesões traumáticas atingem principalmente os jovens. São eles os que mais se envolvem em acidentes durante a prática esportiva e de carro, por exemplo. O cenário é crítico: o traumacranioencefálico (TCE) configura uma endemia no Brasil. Alertar para a gravidade do problema no nosso país é o objetivo doProjeto Pense Bem, que chega ao Espaço do Conhecimento UFMG nos dias 15 e 16 de março.
Durante todo o horário de funcionamento do museu, os visitantes poderão conferir animações que, com uma linguagem acessível, tratam de temas como a anatomia do sistema nervoso central, o trauma cranioencefálico e o risco de quedas e de alguns comportamentos, como levantar peso de forma inadequada. Além disso, folhetos e cartilhas com histórias em quadrinhos, instruções e dicas para a prevenção de acidentes serão distribuídos.
O Projeto Pense Bem foi idealizado pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) há mais de 20 anos. No Espaço, o evento de conscientização é uma realização da Liga de Neutrauma e integra a edição de 2019 da Semana do Cérebro. A participação é gratuita. Dias 15 de março (sexta), das 10h às 17h, e 16 de março (sábado), das 10h às 21h

Café Controverso: debate sobre a violação dos direitos humanos em desastres de mineradoras
Há apenas dois anos, a atuação de mineradoras foi apontada como uma das principais causas de violação dos direitos humanos no país pela iniciativa Articulação para o Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil. Era 2017, e Minas Gerais ainda sofria com as consequências do rompimento da barragem de Fundão, da empresa Samarco, o que deixou 19 mortos e uma enxurrada de lama que destruiu o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana. Em todo o território brasileiro, há 3.387 barragens em categoria de risco ou com dano potencial altos. Em solo mineiro, são 202 nessa situação, segundo a Agência Nacional de Águas.
Mesmo com as lições tiradas da tragédia em Bento Rodrigues, outra de maior proporção assolou a região metropolitana de BH, em Brumadinho, no início deste ano, e acendeu novamente o alerta: até quando as mineradoras e o poder público negligenciarão sua responsabilidade social e ambiental sobre essas áreas? Grupos locais seguem sem acesso a bens naturais vitais, como terra e água. A fim de discutir esse desafio, que é a garantia da não violação dos direitos humanos na cadeia produtiva e no entorno de mineradoras, o Espaço do Conhecimento UFMG realiza no próximo sábado, 16 de março, às 10h, um debate entre especialistas no assunto.

Com entrada gratuita, o Café Controverso: desastres de mineradoras e violações dos direitos humanos recebe Cristiana Losekann, Doutora em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Espírito Santo, e André Luiz Freitas Dias, Doutor em Ciências pelo Centro de Pesquisas René Rachou (Fiocruz Minas) e Professor do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais.
O debate começa com falas breves dos convidados e, em seguida, abre espaço para perguntas dos participantes. A classificação é livre. Dia 16 de março, sábado, às 10h.

Semana Mundial do Glaucoma: ações de prevenção da doença que mais causa cegueira no mundo
Conhecido por ser uma doença silenciosa, o glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo. No Brasil, estima-se que o problema atinja aproximadamente 2 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Saúde. O glaucoma é uma enfermidade crônica que não tem cura, mas, na maioria dos casos, pode ser controlada com tratamento adequado e contínuo. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores serão as chances de se evitar a perda da visão. Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o tema, entre 10 e 17 de março, acontece a Semana Mundial do Glaucoma. Em Belo Horizonte, algumas atividades do evento serão realizadas no Espaço do Conhecimento UFMG.
No sábado, das 14h às 20h, e no domingo, das 13h às 17h, o museu recebe uma equipe de cientistas da UFMG que irão apresentar o funcionamento da visão e explicar os princípios básicos do glaucoma, mostrando os sintomas, os fatores de riscos, os exames de diagnóstico e os tratamentos. Tudo isso será feito com uma linguagem simples e forma lúdica, para que os visitantes consigam entender a doença e atuar para preveni-la. A entrada é a gratuita, e a classificação é livre.
A ação é coordenada pelos professores Vinicius Ribas e Giselle Foureaux, ambos do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade. Ao longo da semana, também haverá atividades na Praça da Liberdade e no ICB, no campus Pampulha. Dia 16 de março (sábado), das 14h às 20h, e dia 17 (domingo), das 13h às 17h

Sábado com libras: semana do cérebro acessível
De 12 a 17 de março, o Espaço do Conhecimento UFMG sedia a Semana do Cérebro, que integra um movimento mundial de incentivo ao estudo da mente humana por meio de atividades instigantes e interativas. A fim de tornar esse saber mais acessível, no dia 16 de março, sábado, das 14h às 17h, as oficinas serão mediadas em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A ação faz parte do projeto Sábado com Libras. A atriz e intérprete Dinalva Andrade estará presente nas atividades do evento, auxiliando visitantes surdos. A entrada é gratuita, e a classificação etária é livre. Dia 16 de março, sábado, das 14h às 17h.

Anúncios